Guia de equipamentos para iniciantes.

INSTAGRAM

Para iniciantes, entrar no mundo da produção e gravação de música pode ser uma decisão que muda a vida. Dito isso, decidimos compilar um grande guia, não só explicando o equipamento necessário para que seu estúdio caseiro funcione, mas também nossas escolhas favoritas e recomendações para cada uma categoria para ajudá-lo a reduzir sua pesquisa e gastos.

 

Considerando o número de e-mails que recebemos de todos, talvez este guia possa servir de "FAQ" para aqueles que estão intrigados pelo processo criativo e indústria de equipamentos de música como um todo. Como sempre, sinta-se à vontade para nos fazer qualquer pergunta se precisar de mais ajuda.

Vamos começar!

O software (D.A.W): Listamos o software de produção primeiro e como sua prioridade número um, porque sem ele, qualquer equipamento que você já tenha comprado (ou tenha pensado em comprar até agora), simplesmente não funcionará sem o software para controlar e usá-lo .

 

Muitos da indústria os chamam de "digital audio workstation", e a escolha sempre será uma grande conversa e discussão (com razão). Vemos músicos e produtores apenas trabalhando com o Pro Tools, enquanto outros artistas profissionais usam soluções mais simples, como o Garageband ou o FL Studio. Muitos dirão que não importa qual é o software, e que tudo gira em torno do artista e a sua criatividade. Embora nós concordemos, em nossa experiência com diversos alunos iniciantes (ou não), queremos que você tenha em mente que você deve adquirir um software que o ajude neste começo. 

De longe um dos softwares mais utilizados na atualidade e que proporciona uma experiência mais fácil para os iniciantes é o Ableton Live. Vemos aqui no dia-a-dia de aulas como nossos alunos conseguem absorver e dominar com muito mais facilidade os processos de produção utilizando este programa. Com o Ableton os primeiros passos são dados sem muitas complicações, e ao mesmo tempo ele oferece ótimos recursos e ferramentas para todos os processos dentro do trabalho. Compor, gravar, editar e finalizar fica mais simples e divertido com o Ableton Live.

No futuro, se houver necessidade, você poderá partir para outro software como Logic Pro ou Cubase. Mas até lá o Ableton Live certamente irá ajudar-lo a vencer os primeiros obstáculos com maior facilidade. 

Computador de produção: Em seguida, o próximo equipamento é o computador. Se você já tem um, ótima notícia: ele pode ser capaz de aguentar a produção de música, especialmente quando você está apenas começando. Nosso primeiro conselho é, pelo menos, tentar com o computador atual  que você tem (se é um laptop, você ainda pode tentar, mas tenha cuidado com o fato de precisar de um outro com mais poder e velocidade).

 

Se você precisa comprar um novo computador de produção, aqui estão nossas diretrizes para escolher um:
 

  • Certifique-se de ter um HD do tipo SSD (Solid-State Drive) para lidar com as necessidades da sua DAW e vários equipamentos de música. Eles são muito mais rápidos do que os HD's convencionais e vai acelerar muito os diversos processos que os softwares iram exigir. Escolha uma com capacidade de 240 ou 320 gigas. O único problemas dos SSD é que ainda são peças caras de acordo com o tamanho. Um SSD de 500 gigas está atualmente em torno de 1.000,00 reais.

  • 8 GB de memória RAM ou superior.

  • Processador do tipo Dual Core ou superior (de preferência i5 ou i7), com pelo menos 3.0 Ghz ou superior.

  • A placa de vídeo não importa - hoje em dia, as placas onboard que já vem nos computadores possuem ótimas qualidade para o que uma DAW e plugins virtuais precisam.

  • 1TB de espaço de disco rígido que pode ser um HD externo. Este espaço será necessário para arquivar os projetos, bancos de samples e outros arquivos grandes do seu trabalho.

Sobre o modelo do computador ser mac ou windows isso não importa muito. O software Ableton Live pode ser instalado em ambas as plataformas, já programas como o Logic Pro X rodam apenas em computadores mac.

monitor de estúdio: Há uma grande diferença entre os "alto-falantes do computador" e "monitores de estúdio". Os alto-falantes de computador são ótimos para uso diário, jogos, lazer e mais; no entanto, os monitores de estúdio, por outro lado, possuem uma compilação interna especial, especificamente para aqueles que fazem música, mixagem e masterização. Ou mesmo para aqueles que querem um "som preciso". 

 

A parte mais importante a observar são os componentes separados dentro dos monitores de estúdio - tweeters para altas frequências e subwoofers (sim, mini subs dentro do alto-falante) para as baixas freqüências. O resultado? Um som mais bem representado para que os músicos possam ter uma referência sonora mais limpa e verdadeira para trabalhar e saber exatamente o que eles estão apresentando aos ouvintes.

As marcas atualmente mais comuns e direcionadas aos iniciantes são:

KRK Rockit

Yamaha HS

Geralmente os monitores de audio são oferecidos em 3 tamanhos diferentes. Escolha com base nas dimensões do seu espaço onde o estúdio será montado. Não é necessário, e até é prejudicial, colocar monitores muito grandes em espaços pequenos. Vale lembrar que trabalhamos com o som em estéreo, então precisamos de um par de monitores, o monitor esquerdo e o monitor direito.

Fones de estúdio: Ouvimos muitos debates no mundo do audio quando se trata de fones de ouvido vs. monitores de estúdio. Para nós, no entanto, para os iniciantes, isso realmente se resume ao orçamento financeiro disponível. Logo de início muitos alunos não podem comprar um par de monitores de audio mas podem encaram a compra de um bom fone para estúdio.

Os fones não devem substituir os monitores, sendo então uma opção inicial mais barata. Trabalhar muitas horas com um fone pode não ser muito agradável e cansa mais rápido os ouvidos.

Os fones são bons para um segunda referência do que estamos fazendo, então após ouvir e ajustar todos os detalhes através dos monitores podemos também conferir como está soando nos fones.

No momento da compra de um fone para estúdio tome muito cuidado, principalmente com marcas muito comerciais como Beats by Dre. Este tipo de fones geralmente alteram o som que estamos criando e com certeza ao ouvir seu trabalho em outras referências como carro, som da sala ou até mesmo nos clubs não se surpreenda se ouvir um resultado bastante diferente do que estava ouvindo antes neste tipo de fones.

Procures marcas mais profissionais como Sennheiser ou AKG por exemplo. Um modelo que indicamos bastante para os alunos é o AKG K-240 MKII.

Interface de áudio: A interface de audio é um dispositivo feito para cuidar de vários aspectos do trabalho com música, como no processamento de áudio, gravar vários equipamentos externos e dando-nos uma maior personalização em certas configurações sobre como queremos gravar sons - ganho, volume master, alternar entre dispositivos e muito mais.

 

Nossos computadores simplesmente não são feitos (ainda, ou aqueles que custam alguns milhares de dólares) para serem tão eficientes quanto possível para o processamento de áudio. É de costume referir-se as interface de audio como "placas de som externas". Eles também podem fornecer algo chamado de "phantom power" para vários instrumentos, especialmente microfones (microfones do tipo condensador, que são preferidos por estúdios em todos os lugares, precisam de energia adicional, pois sua construção não pode fornecê-lo corretamente se ele for diretamente em seu computador).

 

Além dos microfones, você pode interconectar muitos equipamentos do estúdio (fones de ouvido ou monitores de estúdio), bem como instrumentos (controladores MIDI, guitarras, pianos digitais e muito mais). Nosso maior conselho aqui é garantir que você encontre uma interface de áudio que tenha conexões suficientes para lidar com todos os equipamentos e instrumentos que você pretende usar - veja quantos "ins e outs" ela oferece. Se você estiver usando vários microfones, procure por mais de uma entrada do tipo XLR, e para instrumentos como sintetizadores ou bateria eletrônicas verifique o número de entradas do tipo TRS.

Duas marcas bem indicadas são:

Behringer Uphoria

Focusrite Scarlett

Controlador teclado MIDI: Comprar o primeiro controlador teclado MIDI pode mudar sua vida no estúdio. Para definir o que são, se você desconhece, eles são essencialmente um "teclado em branco" que usa sons externos (instrumentos virtuais, também conhecidos como VST) para gerar os sons. Esses sons são controlados em seu software de música. As possibilidades são infinitas - você pode encontrar VST's para tudo, como bateria, cordas, coros vocais, orquestras, FX, ou o som de piano tradicional. Alguns controladores até vêm com PAD's de bateria para permitir um modo mais interessante de tocar linhas de bateria ou percussões.

 

Agregar um teclado MIDI no seu estúdio pode abrir mais janelas e portas de oportunidade do que você pode imaginar. Mesmo que você não saiba tocar como um tecladista agora, comprar um teclado MIDI pode ajudar a iniciar suas habilidades ou, em última análise, inspirar você a aprender. Mesmo que você não possa "tocar piano" ou nunca quiser, você ainda pode usar um teclado MIDI para adicionar sons às suas músicas. É mais uma questão de "por que não?" E, em nossa opinião, continua sendo um dos pontos básicos dos estúdios domésticos na era nova e tecnológica em que estamos atualmente.

Na hora da compra você terá muitas opções, por marcas, números de teclas e funcionalidades. Escolha um que caiba no seu orçamento e se puder ser um com mais recursos com PAD's, knobs e faders melhor.

Procure por marcas mais conhecidas como Akai, M-Audio, AlesisNovation.

VST Plug-ins e FX: Como explicamos os controladores MIDI atuam como nosso teclado em branco para ser usado no computador.  Os instrumentos que geralmente são utilizados para  gerar os sons e timbre são chamados de instrumentos virtuais, ou VST. São essencialmente programas virtuais que trazem sons de instrumentos que foram convertidos em dados para rodar no seu PC e serem acionados com seus controladores MIDI.

 

Quando eles foram introduzidos pela primeira vez no mundo, foi uma grande oportunidade de obter diversos tipos de sons sem a necessidade de ter o equipamento real. Hoje em dia, à medida que a tecnologia continua a avançar, se houver um som que existe no mundo, é provável que já esteja dentro de algum VST - seja pianos, cordas, chaves, sintetizadores, bateria, sons multiculturais, FX, sons que você nunca tenha ouvido antes, vozes reais, coros literais das igrejas e muito mais. Todo o universo de VST é muito amplo e em profundidade, então, uma vez que você entrar nisso, você estará coletando sons para sempre.

A dica aqui com tamanha diversidade é adquirir os que possuem melhor som e que se encaixe melhor no seu tipo de música. Algumas das marcas mais famosas são Native Instruments, ArturiaSpectrasonics.

Cabos: Para a conexão dos equipamentos do estúdio certamente serão necessários alguns cabos. Por exemplo, da interface de audio para os monitores de referência, ou para gravar um instrumento externo como sintetizador ou microfone.

As conexões entre a interface e monitores de referência podem ser feitas com um cabo do tipo P10 para P10. 

Lembre-se que são dois cabos, um para o monitor esquerdo e outro para o monitor direito. O tamanho do cabo também é algo importante de analisar antes da compra. Cuidado para não comprar um cabo muito curto, é sempre melhor sobrar do que faltar.

Cabos de microfone já são diferentes, do tipo XLR.

Evite comprar cabos muito baratos, busque cabos blindados que ajudam a proteger o som de interferências. Cabos bons geralmente são mais caros mais vale muito mais um som limpo do que um som cheio de ruídos certo?

Chegamos então ao fim deste guia de equipamentos para um home-estúdio. A idéia aqui foi apresentar o básico necessário e algumas marcas e modelos para ajudar você em suas pesquisas.

Caso você ainda estiver com alguma dúvidas nos envie um e-mail que ficaremos felizes em ajudar-lo.

 

Redes Socias

  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Ícone do App Instagram

 Rua: Alceu Wamosy, 26, Vila Mariana - CEP: 04105-040 - 

Segunda-Sexta 10:00am-10:00pm, Sábados 09:00am-8:00pm