Como exportar seu projeto para mixagem.

NÍVEL: MÉDIO

Neste terceiro tutorial sobre mixagem vamos falar sobre como um projeto deve ser exportado para a fase de mixagem. Vamos entender aqui quais são os prós e contras dessa questão.

Conceito

Quando estamos produzindo 100% em ambiente virtual, sem uso de instrumentos externos (hardwares), provavelmente a maioria dos canais presentes no projeto serão do tipo MIDI. Isso porque os timbres mais interessantes e realistas são gerados a partir de algum instrumento virtual, os VSTs.

O uso de instrumentos virtuais em um projeto irá impactar diretamente no consumo de CPU, ou seja, quantos mais canais do tipo MIDI contendo os VSTs maior será o consumo de processamento do computador.

Todos os softwares de produção nos permite visualizar como se encontra o estado de consumo de CPU. No software Ableton Live por exemplo este campo fica no canto superior direito da tela.

Geralmente quando este campo atinge porcentagens maiores do que 70% presenciamos travamentos e interrupções do audio durante a reprodução. Neste ponto uma solução seria passar os canais do tipo MIDI que possuem VSTs para canais do tipo audio. Canais do  tipo audio consomem bem menos processamento em relação aos canais de MIDI.

Uma opção para essa questão é o recurso chamado "Freeze Track" que pode ser encontrado na maioria dos softwares de produção, incluindo Ableton Live e Logic Pro X. Com este recurso aplicamos essa transformação de MIDI para audio com apenas um clique.

Ok, agora que já sabemos que canais do tipo MIDI consomem mais processamento em relação aos canais de audio vamos entender o porque exportar todas os canais do projeto para audio e trabalhar a mixagem em um novo projeto pode ser a melhor opção.

O processo de mixagem envolve trabalhar individualmente em cada canal, tratando os mesmos com diferentes tipos de ferramentas (VSTs). Tais ferramentas podem ser as nativas do próprio software ou podemos utilizar ferramentas externas. Uma vantagem em usar ferramentas externas é que existem no mercados inúmeras opções que trarão para nossa mix uma sonoridade mais analógica. Essas ferramentas muitas vezes são a versão virtual de um grande equipamento real, veja por exemplo VSTs como Puigchild 670 da Waves ou Tube-Tech da Softube.

Agora o lado não muito bom é que essas ferramentas externas acabam consumindo também um pouco mais de processamento do computador.

Sendo assim, se o seu projeto já estiver com o nível de processamento alto e o uso de ferramentas externas for certo, o ideal é exportar todo o projeto para audio e seguir com a mixagem e um novo projeto.

Preparando o projeto para o exporte

 

Certo, vamos discutir então como devemos deixar o projeto antes de exportar tudo para a mixagem.

Já é de nosso conhecimento que a mixagem envolve principalmente ajustar os volumes dos canais, equalizar os canais, comprimir os canais, ajustar o panorama dos canais e colorir os canais com efeitos do tipo reverbs e delays.

Então até que ponto vamos ir com o primeiro projeto que será agora exportado? Nossas dicas para está pergunta são:

1 - Deixe os volumes na posição 0db e não deixe o sinal clipar.

2 - Deixe os controles de pan no centro.

3 - Equalize apenas o que achar necessário antes da mixagem.

4 - Não comprima nada.

5 - Se quiser exportar algum canal já com os VSTs que estão fazendo parte do timbre tudo bem.

6 - Não faça uso de canais de retorno ou bus.

7 - Exporte apenas quando a música estiver pronta, com todo arranjo, automações, efeitos e instrumentos completos.

8 - Pense que na mix faremos apenas a mix, todo resto já deve estar pronto.

Exportando projeto MIDI para audio

Veremos então como exportar um projeto contendo canais do tipo MIDI para audio e ganhar muita folga de processamento. Em seguida veremos também como carregar os arquivos exportados para dentro de um novo projeto.

Vamos ver este exemplo nos softwares Ableton Live e Logic Pro X. Caso você utilize outro software busque saber como funciona o export de todos os canais de um projeto simultaneamente.

Começando pelo Ableton Live vamos dar uma olhada nas opções encontradas na janela de export.

Na imagem acima podemos ver a parte superior da janela de export do Ableton Live. A primeira opçõo "Rendered Track" é por onde escolhemos como o exporte será realizado. Por padrão este campo virá com a opção "Master" selecionada. Isto significa que ao exportar teremos apenas um arquivo de audio no formato WAV contendo todos os canais da música.

Abrindo as opções do campo "Rendered Tracks" vamos encontrar outras formas de exportar o projeto.

Veja na imagem acima que logo após a opção padrão de exporte "Master" temos "All Individual Tracks" e "Selected Tracks Only".

Para a nossa necessidade que é ter todos os canais do projeto em audio, a opção certa seria "All Individual Tracks". Ao exportar com está opção, teremos cada um dos canais do projeto exportado individualmente, incluindo canais dos grupos e canais de retorno.

Não devemos esquecer de ajustar corretamente os campos correspondentes da qualidade dos arquivos exportados. Estes campos são compostos pelas opções de "Sample-Rate", taxa de Bits, tipo de arquivo e dithering.

Ajuste a taxa de sample-rate para a mesmo que o projeto foi ajustado. A opção de sample-rate do Ableton Live fica nas preferencias na aba "Audio". Em bits deixe selecionada a opção de 24-bits. O tipo de arquivo pode ser WAV e não utilize dithering.

Abaixo temos uma pasta contendo os arquivos gerados no exporte individual.

Agora podemos abrir um novo projeto e importar os arquivos exportados para dentro do mesmo. No Ableton Live a dica é selecionar todos os arquivos dentro da pasta e arrastar para um canal de audio segurando a tecla "Command" nos computadores MAC ou tecla "Cntlr" em computadores Windows. Assim cada arquivo será inserido no projeto em seu próprio canal e não todos no mesmo canal lado-a-lado. Outra importante dica é deixar a opção "Auto Warp Long Samples" desativado na aba "Record/Warp/launch" das preferências do Ableton Live.

Com esta opção ativada é possível que as arquivos no momento da importação para o projeto não fiquem exatamente alinhados de forma correta.

 

No Logic Pro X o processo é bem simples. Primeiro faça seleção de todo os canais que serão exportados individualmente. Essa seleção pode ser feita pela janela do mixer do Logic.

Em seguida vamos até o menu superior em "File" e depois em "Export". Escolha a opção "All Tracks as Audio Files".

Na janela apresentada as definições para o exporte podem seguir como na imagem abaixo.

Após o exporte finalizado teremos os arquivos dentro da pasta do projeto em "Bounce".

O processo para importar os arquivos exportados para dentro de um novo projeto no Logic Pro X apenas abra a mesma quantidade de canais de audio em relação aos arquivos exportados e arraste-os na ordem desejada. Lembre-se de deixar o BPM do projeto ajustado no mesmo BPM do projeto inicial.

Esperamos que este tutorial ajude a melhorar as suas mixagens e fica atento que logo logo vem mais!

Os assuntos abordados neste tutorial fazem parte do conteúdo programático dos nossos cursos particulares de produção musical com base nos softwares Ableton Live e Logic Pro X. Caso você não tenha compreendido os termos e passos aqui apresentados aconselhamos que ingresse em um dos nossos cursos. Ligue e converse diretamente com um dos nosso professores, será um prazer atender-lo

Equipe IME.

PRODUÇÃO MUSICAL
ABLETON LIVE 9 - LEVEL 1

 

Curso indicado para iniciantes, dj's e produtores que buscam um conhecimento completo e prático sobre gravar, editar e tocar músicas com Ableton Live. Ao término deste módulo o aluno estará apto a montar seu próprio home-estúdio e produzir sua idéias musicais utilizando os recursos e ferramentas que o Ableton Live oferece.

 

Clique aqui para maiores detalhes sobre o curso de produção com ênfase no software Ableton Live 9 e informações sobre datas, valores e formas de pagamento.

 

Redes Socias

  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Ícone do App Instagram

 Rua: Alceu Wamosy, 26, Vila Mariana - CEP: 04105-040 - 

Segunda-Sexta 10:00am-10:00pm, Sábados 09:00am-8:00pm